Nós e os príncipes encantados

Fuck-SummerDesde crianças somos levadas a nos acostumar com a ideia de que um dia iremos encontrar um príncipe encantado. Somos tratadas quando crianças como criaturinhas frágeis, vulneráveis a todo tipo de mal. Quem irá nos salvar desse mundo cruel e que representa tanto perigo para nós, princesas? Um carinha que irá nos dar toda a segurança necessária para sermos felizes para sempre. Por outro lado, os meninos também são ensinados a esperar que as mulheres sejam essas criaturas frágeis e que necessitam da ajuda deles para terem uma vida feliz.

O que acontece quando a mulher adulta percebe que príncipes encantados não existem? Frustração. E o que acontece com os homens que encontram mulheres que não estão à procura de um príncipe encantado, mas de um homem real? Bom, uma parte chama essas mulheres de vadias ou coisas piores.

Estou morando em uma república no Rio e um dos moradores dela comentou que acha a personagem Summer, de 500 dias com ela, uma sacana, pois enganou o carinha do filme.

Para quem nunca assistiu o filme, a história fala de como Tom conhece Summer e de como é o relacionamento dos dois até que ela cai fora e ele fica naquela situação de quem teve o coração partido.

Tom é um personagem bonzinho, agradaria boa parte das mulheres desse mundo. É interessante, bonito, tem bom gosto, boa conversa e tal. Super apaixonado pela personagem e faz de tudo pra deixá-la feliz. Porém, aqui tem uma questão que muita gente esquece. Summer, a “vadia” em questão, nunca prometeu amor eterno a ele. Desde o primeiro momento alertou para o fato de que ela não acreditava em casamento e que não queria nenhum relacionamento sério.

Então, porque ela é tida como a bitch do filme? Ah, tem uma argumentação: – Ela terminou com o cara que era apaixonado por ela e casou com outro!!!!

Eu pergunto: – E daí? Ela era obrigada a casar com ele? Era pra eu ter casado com meu primeiro namorado, então?

Bom, gente, relacionamentos começam e terminam. Só porque ele, aparentemente, era perfeito pra ela não quer dizer que Summer tenha que ficar com ele pro resto da vida. Ela não achava isso e não queria casar com ele, deixando isso bem claro enquanto estavam juntos. Acho que o que incomoda no filme é o fato de que os personagens principais trocam de papéis no que diz respeito às comédias românticas. Ela é a causadora do coração partido. Geralmente não é assim que acontece nos filmes.

Por isso que gosto do filme. Ele consegue mostrar que relacionamentos nem sempre acabam no felizes para sempre, mas aprendemos sempre com o outro. E fica o alerta: Garotos, nem todas as mulheres que se relacionarem com vocês irão querer casar só porque vocês são bonzinhos e se enquadram no modelo de príncipe encantado. Mulheres, sejam um pouco mais como a Summer, não se dobrem às necessidades sociais. Fiquem com quem vocês quiserem e sejam felizes.

E para quem não viu o filme, assista logo. É muito bom! Mas fica o alerta:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s